Os Vilões que amamos.


Quem de nós nunca se pegou, ao ler um livro, suspirando pelo vilão?
Pois é, não é de hoje que os malvadões tem despertado sentimentos nas mocinhas de dentro e de fora da história. Mas o que nos chama tanta atenção nesses bad boys literários?
Bom, não sei, mas tenho a nítida impressão que faz parte da nossa essência sempre procurar algo bom nas pessoas e ver em alguns muito mais do que maldade e malandragem. As vezes enxergamos tudo o que vem por detrás daquela cara de pau deslavada.
Desde muito nova eu já era do team Tom e não Jerry, sempre morri de pena do coyote pelas estripulias que o papa léguas fazia com ele.
Acho que nem preciso dizer que meu príncipe encantado preferido sempre foi a Fera. Então hoje trago a vocês os vilões que nós amamos, dá uma conferida aí.

Severo Snape 
Apesar de toda a casca dura beirando a insensibilidade, o professor de poções era na verdade um dos maiores bruxos de Hogwarts. mal compreendido, injustiçado, carregando no íntimo da sua alma tanta dor, teve um papel fundamental para o desfecho final da saga. Como não amar? como não desejar por no colo, proteger, guardar dentro de um potinho?

 Drácula: ah gente, eu estou pegando pesado, mas quem nunca teve uma quedinha por ele? Faz parte da fantasia de grande parte da mulherada ser tomada nos braços por esse maléfico ser.



Loki: O irmão excentrico do thor, trapasseiro, como ele só, conhecido na mitologia nordiga por ser o deus da mentira, carrega todos esses "pequenos " defeitos que nós conhecemos muito bem, afinal se existe uma divindade mitologica parecida com os seres humanos, ah certamente nenhuma se compara a Loki. Mas mesmo com todas as falhas de caracter podemos dizer que odiamos ama-lo, mas é inevitável não cair de amores pela personalidade despojada do filho adotivo de Odin. Quem nunca quis compensa-lo pelo passado triste? quem nunca passou panos quentes nas suas trapassas justificando os seus erros e acreditando que no fundo ele tem bom coração?

 O fantasma da opera: Tenho que confessar que foi com ele que senti nascer esse sentimento de proteger o outro, de acolher, foi com ele que aprendi a ter "pena de macho", como dizem as minhas amigas. Mas Erik apesar de ser o vilão da história, com o seu amor obsessivo por Cristine, no fundo era apenas uma alma triste, revoltada que como na própria obra conta, nunca foi beijado nem pela própria mãe, por ter seu rosto deformado. Eu não sei vocês, mas quem ligaria para um rosto deformado diante de alguém tão brilhante como o "anjo da Música" como ele se  auto intitulava. O livro me emocionou e olha que eu li quando ainda era criança, ( sim sim, tive um gosto literário bem incomum para minha idade) Quando vieram as adaptações em musicais e até mesmo na grande tela, aí então o meu amor explodiu a ponto de decorar as falas dos personagens e até hoje arrear os 4 pneus por esse ser maravilhoso que merecia ter tido um final feliz.

 A Fera: Baseada em um personagem inicialmente de um conto de fadas frances, teve suas muitas versões das quais a minha preferida é a que relata a história de um principe esnobe que foi amaldiçoado e condenado a viver como uma fera, até que encontrasse o amor verdadeiro. A Fera , uma criatura culta, rodeada por livros e objetos de luxo, era uma criatura azeda e mal humorada, mas que na verdade assim como a maioria das pessoas solitárias, só precisava de um pouco de amor e atenção.

Tags:  #viloesdaliteratura #literatura #malvadoes #badboysdaliteratura 


in

5 casais literários que marcaram gerações